Seja Bem Vindo(a)!

"Nomes são o ativo mais importante de uma Empresa"
Jack Welch

Talisman

sexta-feira, 1 de junho de 2012

O eneagrama do Mestre dos Nomes, para a escolha do melhor domínio


Quando você desejar colocar o nome da sua empresa na internet, você precisará utilizar um nome de domínio.  Observe que, em todos os eventos, o nome da sua empresa vai SER o nome do domínio. Portanto, é vital que o nome de sua empresa precise ser avaliado ANTES, para saber se ele é viável na web. Na prática, existem muitas qualidades essenciais para obter um nome vencedor. Neste texto, o Mestre revela alguns dos segredos trabalhados para a obtenção do melhor domínio.

1. “ .com.br” é a primeira opção

Para empresas que vão atuar no Brasil, o domínio chave se inicia com “.com.br”.  Este domínio é registrado nos buscadores regionais e classifica os nomes atuantes no Brasil. Evidentemente, existem muitos outros domínios de importância, porém, em termos de Brasil, a sigla “br” gera uma classificação especial.

A segunda escolha recai sobre “.com”. Esta sigla internacional é de longe a mais procurada internacionalmente falando. De fato, sempre que possível, a dobradinha .com.br  & .com cria uma linha de estratégia muito poderosa para um negócio criado “do Brasil para o mundo”.
Desde que o domínio .com é muito famoso, muitos navegadores irão inclusive priorizar o auto completar desta forma, instruindo as informações prioritárias a ele.

O gerenciamento de domínios internacionais tem se expandido rapidamente. É preciso então notar que os centros de referência informacional estão se transformando. Da mesma forma que a moeda econômico mundial está sendo centrada no Real brasileiro (pasme, isto é muito verdadeiro),  o fluxo informacional da internet também passa a ser direcionado para as raízes próximas ao núcleo brasileiro. Isto vale sobremaneira para negócios nascidos na A.L.

Dentro desta estratégia, a melhor 3ª opção está deixando de ser, o “.net”, para ser o “.co”. Há um crescente grupo de investidores de domínios adquirindo e repassando esta novíssima sigla. O custo acessível e a facilidade escrita (uma letra a menos), torna esta opção bastante interessante para quem deseja criar um flanco comunicativo de concorrência setorial.

O principal, dentro das regras iniciais é evitar domínios “estranhos”, aqueles que estejam fora de um raio imediato de ação.  Se você vai criar um nome para uso no Brasil, portanto, fica óbvio que um domínio culturalmente “diferente”, vai precisar de uma estratégia comunicativa mais arrojada para a conquista do teritório informacional. Vamos falar sobre isto no tópico “3”.

2. Menos é Mais

Sempre é mais fácil para digitar (e falar) dominios curtos.  

O fato é que os seus consumidores irão ficar aborrecidos se você ceder a eles um domínio do tipo 

“joaotemonegociofeitosobmedidaparatodaasqualidadesessenciaisdoentretrenimentoquevoceprecisaagoraesempre” “ponto algumacoisa”.

Muito melhor vai ser dar a eles algo como “joãonegocia”, ou “essencial”, ou ainda “sobmedida”, para potencializar o foco do negócio a um nível inteligente.

Ainda que você tenha de vender um slogan em forma de hotsite, saiba que este slogan precisará de um trabalho de aglutinação fonética para ser melhor lembrado. A nível de web: “carronovo.com” é sempre melhor do que “meucarronovo.com”...naming se constrói com estratégias inteligentes. Na dúvida, use as duas formas, com redirecionamento.

O Mestre trabalha com parametrização fonética e lhe sugere alternativas ideais para nomes (e slogans de hotsites) alocados com o máximo de eficiência.


3. O nome que você usa na web precisa ser facilmente compreendido.

Muita gente gosta do seu sobrenome. E muita gente de sucesso tem sobrenomes estrangeiros. Expressões complicadas precisam ser evitadas. O que é fácil e possui um significado em outra linguagem, pode ser um amontoado de letras e fonemas mal sonorizados em outros lugares.

Quer um exemplo claro, obseve o nome deste que é o mais destacado estilista turco da atualidade.


Dificilmente conseguimos “gravar” o sobrenome, porque foge totalmente de nossas raizes “abertas” da linguagem.

Isto não impede que concordemos com a qualidade indiscutível do trabalho deste artista, mas, coloca-nos ante uma verdade cultural essencial: o diferente demora mais para ser assimilado.

Em muitos nomes empresariais ocorre o mesmo. Nós podemos deduzir que este problema está acontecendo quando as pessoas começam a perguntar mais do que “aceitar”. Quando o nome precisa ser “traduzido” e também, “soletrado” para que possamos acessá-lo, estamos em face de um possível entrave comunicativo. Este tipo de condição costuma requerer investimentos muito maiores para a devida absorção da marca.

O que o Mestre sugere é um estudo específico da sua marca, não para modificar sua origem, que precisa ser mantida, mas para criar caminhos de facilitação comercial nos mercados onde pretenda atuar. Hotsites com domínios relativos e sub denominações par chamadas de foco dirigido podem facilitar a penetração da marca.  “O cliente sempre tem razão” se refere à facilidade a ele concedida. Se o cliente “não compreende”, não há venda.

Desta forma, ao encontrar seus consumidores, apresente seus produtos por telefone ou em feiras comerciais e observe se eles absorvem com facilidade o nome da marca e produtos. O grau de facilidade (ou dificuldade) na transliteração entre a parte “falada” com a parte “escrita” determina a velocidade de comunicação.

Muitas vezes as pessoas podem imaginar formas escritas diferentes. Outro dia, de forma admirável, observamos como uma professora tentou mudar seu nome. Ela se chama Fátima e foi instruída por alguém do ramo da numerologia a escrever “Phatimma”. Adivinhe se alguém consegue saber como se escreve sem que ela tenha de ficar soletrando letra a letra.

Fatos como este, apesar de bizarros, existem em grande quantidade. Pessoas acrescentam letras, trocam s por ç, f por ph, i por y e assim por diante. E muitos “criadores de marcas” pertencem a este tipo de classe. Ou seja, a marca nasce fadada a perder competitividade cultural no lugar de nascimento.

Não generalizando, existem exceções onde certas liberdades literárias podem ser úteis... mas, neste caso, é favorável fugir do piegas. A criação de nomes com “escrita especial”, como já relatamos em outras publicações, depende de uma arquitetura comunicativa própria. A campanha de hotsites precisa então gerar os nomes de suporte, que irão facilitar a penetração cultural do “nome culturalmente estranho”.  Com a assessoria especializada do Mestre, sua marca pode expressar todo o poder comunicativo que merece, mesmo em culturas diversas, e sem correr riscos de cair na mediocridade das agências desclassificadas de naming.   



4. Originalidade essencial.

Quer fazer com que o seu site seja facilmente encontrado pelo Google?  Escolha um nome com poucas referências. Quanto menos referências, mais fácil é a ascenção do posicionanamento específico. Nomes “genéricos” tendem a ser muito difíceis de serem localizados. Imagine o que venha a ser colocar posicionanento em um nome onde existam 2 milhões de referências. Nestes casos, para evitar constantes gastos com “campanhas”, o melhor é apostar em nichos nominais exclusivos. O próprio sistema irá se encarregar de posicionar o seu site... e uma vez lá, o fluxo de informações tenderá a mantê-lo na primeira posição sem maiores esforços!  Se você tem dúvidas, fale como Mestre!


5. Use um nome memorável.

O seu domínio precisa ser facilmente memorizável pelos usuários.  Por exemplo: “111 Chineses” é muito mais fácil de gravar do que “Web Site Tech”.

Quando nasce a idéia, somos conduzidos a um aceite imaginativo. Então, 111 Chineses nos coloca a visão de um monte de gente de olhinhos puxados fazendo algo. Enquanto isto, Web Site Tech nos induz a uma visão de algo comum, como uma empresa global banalizada de produção de páginas para a internet...por exemplo.

No momento em que o nome é criado, pode-se gerar uma história original para ele. Esta história se reflete em curiosidade por parte do consumidor. A curiosidade desperta focos de mídia nas fontes do Flickr, Youtube, Feedburner, etc.

Combinando palavras, números e partes de palavras, podemos criar focos de tensão comunicativa. Estes focos permitem gerar publicidade de alto nível com índices mínimos de investimento.

Experimente criar uma campanha para um dos produtos ou serviços da sua empresa. O Mestre pode lhe auxiliar a desenvolver uma plataforma comunicativa inovadora para a conquista de seu segmento de mercado.


6. Evite as Marcas Registradas

Procure evitar que o seu nome utilize marcas registradas dominantes. Por exemplo, se você for utilizar um domínio com hellmans para sua loja de conveniências, é muito provável que a proprietária da marca venha a lhe solicitar a retirada do domínio! Ainda que a marca não tenha “comprado aquele registro”, os tribunais de arbitragem internacional tem dado ganho de causa para as empresas que registraram os nomes ANTES!

Economize seu tempo e dinheiro: solicite ao Mestre um plano de desenvolvimento com garantia de registro nas marcas e patentes para o máximo crescimento de sua marca.


7. Devo comprar um nome já criado?

O que acontece quando o domínio do nome criado já está tomado?

A solução mais econômica é a de escolher outro. 

O Mestre dos Nomes dispõe de alguns domínios para venda e informa a você opções externas.

A despeito de haver sites “mais sérios” do que outros para a venda de domínios, a única garantia real é a da venda direta, no caso, com contratos válidos no Brasil.  


Observe:


Sites que intermediam a venda de domínios no exterior não podem oferecer nenhum tipo de garantia real. 


No Brasil, como você sabe, a lei do consumidor é uma das mais avançadas do mundo. Esta lei é tão poderosa que, mesmo países desenvolvidos deixam de garantirt o que aqui se garante. 


Mestre dos Nomes é uma empresa idônea, estabelecida legalmente no Brasil.


Quando procedemos a venda de direitos de uso de um site de nosso portfólio, esta transação comercial  é configurada em cartório. Isto significa que você conta com todas as garantias  legais (seja no modo de locação, seja no de aquisição de domínios).

Note que a maioria dos investidores de domínios são estrangeiros. Note que "nada nem ninguém" os obriga a ceder legalmente todos os direitos de uso do domínio “comprado” por você. Portanto, comprar domínios "de terceiros estrangeiros", é realmente um negócio de altíssimo risco.


Creia-me, as doces palavras dos provedores não poem se contradizer aos fatos.

O caso mais famoso desta celeuma se deu por conta do domínio “sex.com”, que notoriamente gerou um prejuízo superior a 10 milhões de dólares...à parte vendedora (!). O site vendedor simplesmente "pegou o dinheiro", repassou o direito e não pagou aoo legítimo proprietário do domínio. Se você está perguntando se ele foi processado ou o dinheiro recuperado, sinto lhe dizer, nada pôde ser feito!

Desde então, muitos outros casos vem existindo de pessoas que vendem e não recebem, e pessoas que compram e da mesma sorte, perdem seus investimentos.

A despeito disto, dentro de um patamar razoável, é possível adquirir nomes de domínios com sites internacionais menos ligados a fraudes. O Mestre possui esta lista "+ segura" e a indica, com valores atuais, para qualquer domínio a venda no mercado que deseje adquirir.

Muitos domínios à venda podem ser adquiridos com investimentos situados entre algumas centenas a algumas dezenas de milhares de Reais. O Mestre pode intermediar a busca e a formulação de propostas para o domínio que você deseje adquirir.


8. Conserve seu Nome

Uma vez que você possua um domínio, será preciso mantê-lo.
Domínios devem ser pagos anualmente.

Algumas empresas já perderam seus domínios por “esquecerem” de renovar a anuidade. Em um dos casos famosos deste tipo de erro, a “recompra” do domínio onerou certa empresa estrangeira em muitos milhares de dólares (por um valor que não chegaria a 30 dólares se a conta tivesse sido paga no provedor).

Uma vez que as taxas de manutenção deixam de ser pagas, os domínios voltam a ser disponibilizados para venda (depois de 30-40 dias de atraso). Não cabem recursos de nenhuma espécie para este fato.

Desta forma, guarde com cuidado as informações de seu registro, e o mantenha sempre quitado.


9. O risco de Spam e os registros privativos

Desafortunadamente, quando você registra um domínio, seu endereço de email vai ficar visível para o mundo inteiro através do “whois”. O “whois” é um banco de dados de todos os registros do planeta. Como é de se esperar, tal oportunidade gera possibilidade de spammers obterem seu email e passarem a lhe enviar lixo eletrônico.  Por outro lado, você não poderá mudar de email, pois ele é a sua conexão para renovar o domínio.

Hoje em dia já existem ótimos filtros contra este tipo de abuso (fazer spam deveria incorrer em crime, pois gasta-se tempo para deletar manualmente o indesejável...mesmo que seja para marcar “não me envie mais email”...

Alguns domínios já permitem que você escolha a opção “privativa”. Desta forma você poderá adquirir seu domínio preservando a integridade de sua privacidade.

O Mestre dos Nomes elabora um gráfico minucioso sobre as disponibilidades, custos de aquisição e renovação anual, bem como elementos de amparo estratégico para a potencialização de seu plano comunicativo.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...